Um Sonho Possível (The Blind Side)

Falar de produções depois delas serem premiadas é um processo um pouco complicado. Ou você fica procurando saber o motivo de tanto alvoroço em cima da obra, ou então você pode ficar deslumbrado por algo que, se visto antes, talvez não lhe causasse tanto impacto.

Depois de tantas indicações e de Sandra Bullock (A Proposta) ter levado o Oscar de melhor atriz – e também o Globo de Ouro e outros dois prêmios na mesma categoria – posso dizer que, “Um Sonho Possível (The Blind Side)”, nada mais é que um filme “água com açúcar” que tem o seu sucesso ancorado e justificado pela impressionante história de vida do jogador de futebol Michael Oher.

A trama é baseada na história de vida de Michael, interpretado muito bem por Quinton Aaron, um jovem sem boas perspectivas de vida. Além de negro, pobre e muito grande (daí surge o apelido de Big Mike) ele segue como um sujeito alheio a tudo em sua volta. Sua vida muda de rumo quando ele é ‘adotado’ por Leigh Anne (Sandra Bullock), que é uma mulher rica, esposa de um bem sucedido empresário e com dois filhos. É ela que faz todos em volta mudarem o comportamento com ele (entra aí no ‘bolo’ seus professores) e ainda faz aflorar o talento para o futebol americano.

A atitude de Leigh Anne em trazer este garoto para dentro de sua casa, para fazer parte de sua família e mudar a vida dele e de todos em sua volta é realmente incrível. Você pensar que alguém com a vida totalmente confortável possa fazer isso é algo que serve no mínimo como exemplo. Só que uma coisa é a história, outra é o filme e, como obra cinematográfica, não vi nada fora do comum ou excepcional em “Um Sonho Possível”, tampouco na atuação de Sandra Bullock.

Não sei se a falta de identificação com o esporte praticado por Michael Oher ou tudo aquilo que disse no início a respeito das premiações (e também o sucesso que fez ano passado quando foi lançado lá nos EUA) tenha algo a ver com o fato de que, para mim, seja apenas um bom filme, com uma linda história e só. Nada de intenso ou preocupante (tirando uns poucos minutos de problema que surge em determinada parte do longa) acontece, nem mesmo emocionado eu fiquei.

Apesar de não ter nada contra Sandra Bullock, dar o Oscar de melhor atriz a ela foi outra coisa exagerada. Das suas poucas concorrentes que vi, ela está no máximo próxima dos outros trabalhos. Atuar corretamente e de maneira convincente pode ser mesmo indício para se ganhar um Oscar?

Temos então um bom filme, com uma lindíssima história e boas atuações das quais eu destaco pasmem, a do jovem Jae Haed, que rouba sempre a cena interpretando o filho de Leigh Anne. Agora, se você não suporta filmes “água com açúcar”, não recomendo de forma alguma “Um Sonho Possível”. Acredite em mim, não se trata de nada imperdível.

Um Sonho Possível (The Blind Side, Drama: 2009 – 128 min)

Direção e roteiro por John Lee Hancock. Estrelando: Sandra Bullock, Tim McGraw, Kathy Bates, Quinton Aaron e Jae Haed.

40 comentários sobre “Um Sonho Possível (The Blind Side)

    1. o filme é otimo, a historia tanbém, e devemos olhar com outros olhos
      uma historia assi e ver q emcinamento ela nos tras pr a nossa vida
      q mesmo depois de todas as dificudades possamos erguer a cabeça e seguir em frente não im porta o q nos espera.

      Curtir

  1. Márcio, concordo contigo trata-se de apenas um bom filme, com uma linda história e só. Realmente, o guri sardento manda muito bem. Vale o filme por sua atuação, figuraça.

    Curtir

  2. Verdade, Jae Haed está ótimo. O filme é água com açucar “bem feitinho”. Já a atuação de Sandra Bullock é boa, nada de excepcional, mas boa. E comparando com as concorrentes (não teve nenhuma atuação excepcional) achei até justo o prêmio.

    Curtir

  3. Dorzinha no cotovelo
    Ganhou pq mereceu!
    Se dependesse de “mortos” como vcs, seriam sempre as mesmas múmias ano após ano a ganhar um oscar.
    Acordem mortos!

    *comentário editado por conter palavrões

    Curtir

  4. Primeiramente Greg, tive que editar o comentário por conter palavrões.

    Segundo: quer dizer que qualquer um que discordar de uma premiação no Oscar, em questão a de melhor atriz para Sandra Bullock é um morto?

    Tá bom, então eu faço uma pergunta para você. que pelo visto é um dos poucos sobreviventes (parabéns), se realmente viu todos os outros trabalhos?

    Assista “Educação” por exemplo, e me diga o que Sandra Bullock fez mais do que a Carey Mulligan?

    Gosto muito da atriz, mas continuo achando que para “melhor atriz” falta ainda um pouco mais.

    É minha opinião, respeito a sua sem precisar ofender.

    []´s

    Curtir

  5. “Verdade, Jae Haed está ótimo. O filme é água com açucar “bem feitinho”. Já a atuação de Sandra Bullock é boa, nada de excepcional, mas boa. E comparando com as concorrentes (não teve nenhuma atuação excepcional) achei até justo o prêmio.” [2]

    Curtir

  6. Filme fraco, clichento e bobinho! Eu até curto a Bullock, mas achei ela a mais fraca e o oscar tem sido tão ridículo – tiveram o mesmo raciocínio(?) pra premia-la quando deram Oscars a Paltrow, Julia Roberts e Reese Whiterspoon…

    Carey Mulligan era, ao meu ver, a melhor! deveria ela ou a Streep!

    Curtir

  7. Acho q a maioria dos cinéfilos tem esse problema assistir a um filme depois que ele foi premiado (e isso vai acontecer comigo e com vc tbm se, por acaso, passar Coração Louco nos cinemas aqui em Salvador). Também achei o filme apenas bom e Bullock entrega uma atuação correta, mas que não enche os olhos.

    Achei bacana aquela tensãozinha quase no final, pra sacudir a história. E acho q foi consendo que o garotinho roubava as cenas quando entrava.

    Pena que o Oscar a cada ano vai cedendo as pressões das outras premiações. Se bem que este ano a categoria não teve nenhuma atuação excepcional (não assisti ao filme de Helen Mirren pra julgar).

    Curtir

  8. Pelos comentários gerais Caio, estou começando a achar que mesmo Sandra não tendo um atuação fora do comum, suas “adversárias” também não brilharam tanto assim.

    Pelo menos parece que não foi toda essa injustiça tremenda ela ter levado a estatueta.

    Curtir

  9. Eu como fã da Sandra Bullock sou um pouco suspeita pra falar, e como ainda não vi os filmes das outras indicadas não posso dizer que a Sandra foi a melhor, mas achei a atuação dela ótima, na verdade excelente.

    E o filme é lindo, na minha opnião melhor que “Guerra ao Terror” e “Avatar” que ficaram em 1º e 2º no prêmio de “Melhor Filme”, a história do Michael é incrível, a atuação do Tim McGraw foi muito boa e quanto a do Jae Haed concordo com vocês, o gurizinho mandou muito bem, dei muitas risadas ^^

    Sendo assim, acho justo o prêmio de “Melhor Atriz” pra Sandra e se podesse opnar ainda daria o de “Melhor Filme” para o “The Blind Side”, já que “Guerra ao Terror” e “Avatar” não me emocionaram nem a metade, chorei três vezes assistindo “The Blind Side” ontem ^^

    Curtir

  10. Franciele, depois de ver outras 2 indicadas o que posso afirmaré que Sandra não foi tão melhor do que elas, acredito que no mesmo nível. Não foi tão injusto porque nenhuma se destacou tanto assim.

    Agora, “The Blind Side” não chega nem perto sequer de Avatar, quanto mais de Guerra ao Terror em minha opinião. É um filme muito “água com açucar” e que de bom mesmo somente a história real em que ele é baseada, porque eu não consegui me emocionar nem um pouco com as atuações.

    Reese Whitersponn pode até não ser melhor que a Sandra Bullock, mas em Johnny e June ela está excepecional!

    Abração

    Curtir

  11. assisti hoje e prefiro meu nome é rádio.
    sandra só fez o necessário pois o roteiro é bom e ajuda muito. e acho que oscar foi muito bom para ela pelo conjunto de todas suas obras, não por esse em especial.

    Curtir

    1. A história de vida do rapaz é realmente impressionante, e baseada em algo real, mas isso não necessariamente faz deste um filme excelente.

      Mas isso não desmerece o seu desejo de recomendar o filme, afinal cinema é emoção. []´s

      Curtir

  12. Se fosse pela a Crítica aqui feita ao filme teria perdido a chance de assistir um belo filme, ele pode ser água com açúcar, mais é, uma história belíssima. Recomendo para quem gosta de assisti uma linda história de amor e superação.

    Curtir

    1. Como se em algum momento eu dissesse na crítica que não era pra ninguém ir ou que o filme fosse ruim;

      Expressei minha opinião, classifiquei ele como um bom filme. Tem certeza que leu o que escrevi?

      As resenhas aqui seguem um determinado padrão e são por mim direcionadas, não servem como base ou lei para você ou qualquer outra pessoa ver ou não algum filme.

      Abração 😀

      Curtir

  13. Acabei de ver o filme. Depois da linda história, não consigo julga-lo como um filme “bom” ou “ruim”, consigo apenas parar e refletir sobre alguns atos, sobre como ainda existe bondade e humanidade em muitas pessoas, e como podemos, de algum jeito, fazer um mundo melhor (seja apenas ajudando uma única pessoa).
    Talvez depois de algum tempo eu possa dizer algo sobre o filme como cinema, mas por enquanto ele ficará na memória como uma linda mensagem. Pra mim, isso é o que importa.

    Curtir

  14. esse filme muito interessante pq fala de um adolescente que vivia nas ruas e um dia uma mulher chamou ele para dormir na casa dela e fo iadotado por aquéla mulher

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s