Tekken

Não sei como ainda existem pessoas corajosas o suficiente para continuarem adaptando jogos de videogame para as telonas. Mais complicado que adaptar um game para o cinema é adaptar um game de luta como “Tekken”, jogo com um certo prestígio no meio e que teve seu filme lançado direto para o DVD (pelo menos nisso foram coerentes).

Talvez por conhecer pouco do jogo em questão e ter desligado quase que completamente o cérebro (deixei ligado apenas o instinto de sobrevivência mínima, respirar e tal) eu consegui até me divertir com “Tekken” que, em minha temível opinião (sim, espero por socos e voadoras giratórias agora), consegue ser um pouco divertido apesar do roteiro ser mais batido que bife de restaurante de prato feito.

A trama é ambientada em 2039 num mundo sem governos e totalmente dominado por corporações. A corporação Tekken organiza um torneio chamado “punho de ferro” do qual o vencedor terá a honra de ser um integrante da corporação. É aí que entra Jin Kazama, primeiro lutador escolhido “nas ruas” que conseguiu adentrar no torneio. O que poucos ainda sabem é que ele não está atrás da tal ‘glória’ e sim para vingar a morte de sua mãe.

Se a trama é boba temos que atentar os olhos para outras coisas como as belas atrizes escaladas para o elenco. As lutadoras usam modelitos que deveriam entrar na moda HOJE aí pelas ruas. Fora isso as lutas são bem coreografadas e o filme, por incrível que pareça, consegue sair um pouco da cilada de ficar apenas no “round 1, fight!” a todo instante. Tem uma trama correndo em paralelo que consegue segurar um pouco o interesse de continuar “vivo” até o seu desfecho.

Por não conhecer a história do game não tenho como comparar se foi uma boa adaptação e, sinceramente, duvido que tenha sido tão fiel assim. Agora, como entretenimento descartável, daqueles que no dia seguinte você já apagou de sua memória, até que Tekken não faz feio.


Tekken (Ação, Ficção Científica: 2010 – 92 min)

Dirigido por Dwight H. Little com roteiro de Alan B. McLeroy. Estrelando: Jon Foo, Kelly Overton, Cary-Hiroyuki Tagawa.

11 comentários sobre “Tekken

  1. Doug!, eu acho complicado o filme de Uncharted ser bom. Adoro o game no PS3 (eu tenho 1 e to pra pegar emprestado o 2 agora) e concordo contigo é muito bom, mas a história em si convenhamos, vai parecer uma mescla de Tomb Raider com A Lenda do Tesouro Perdido. Espero estar errado!

    Ramon, tava dando sopa na mão de um colega de trabalho eu resolvi encarar. Mas só assista em ultimo caso porque é descartável.

    Ddii_, se você é fã do game não espere muita coisa não.

    Dan, como não joguei o game eu só julguei o filme e achei até divertido.

    Curtir

  2. Não conheço a História do jogo, mas mesmo assim eu achei meio podre D:

    -The King of Figthers, é ridiculo, um jogo que quando era criança jogava nos fliperamas da vida, ver aquele lixo foi dose xD ( eu já sabia que ia ser uma porcaria, mas me arrisquei). O que mais me deixou brava foi a descaracterização dos personagens, eu tive que advinhar quem era quem.

    Curtir

  3. Realmente, é uma merda. Mas tendo o em vista o trailer, eu me surpreendi. Falando como fã do jogo, diria que foi até passável. Mataram um pouco a história como de praxe mas ainda conseguiram manter um pouco o espírito do jogo. A caracterização pelo menos foi boa.

    Curtir

  4. cara eu adoro o jogo,e posso afirmar que essa adaptação é no minimo vergonhosa(ta a caracterização ficou boa)mas isso não basta !!! a história é ruim,as lutas piores e o filme é mediucre. eu daria nota 5 .apesar que quem for muito fã,deve gostar.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s