A Centopéia Humana 2

 

Nome: The Human Centipede 2 – 2011

Direção: Tom Six

Sinopse: Martin, um homem com muitos problemas psicológicos,  fica obcecado pelo filme A Centopéia Humana e resolve fazer a sua própria versão do horror.

 

 

É difícil falar de A Centopéia Humana 2. Muito difícil mesmo, mais até do que eu poderia imaginar quando resolvi assistir. O burburinho em torno do filme ajudou a criar uma expectativa do quão repulsivo poderia ser esta sequência. Quando o Reino Unido tentou banir o filme, muitos falaram que era um absurdo, não pode haver censura, as pessoas devem decidir o que assistir… eu preferi me omitir. Como posso falar a respeito de algo que eu nem vi? Vocês poderíam até mesmo dizer que não importa o conteúdo, não pode ser censurado… eu diria que não é bem assim. Um exemplo: eu sou totalmente a favor de boicote  (não censura) a filmes que matam animais para suas produções. A grande questão não é necessariamente o ato de censurar algo mas acredito sim na outra ponta: a competição para ver o quanto se pode ir mais baixo para chocar o público. Antes que digam que sou a favor da censura vamos voltar ao filme…

O Reino Unido mudou sua decisão de proibir o filme mas exigiu um total de 32 cortes o que prejudicou de certa forma o choque das ações de Martin e claro, provocou alguns furos no filme. Tudo isso porque classificaram o filme como moralmente repreensivo. E eu concordo. A Centopéia Humana é um filme repugnante. Isso não quer dizer que ele é ruim… sua idéia é chocar, ele consegue isso; o filme tenta ser asqueroso ao ponto de você fechar os olhos para não ver determinadas cenas, nisso ele obteve sucesso. Mas um filme não se sustenta só por isso, então vamos falar sobre o decorrer dele.

Martin é um homem com sérios problemas psicológicos. Ele mora com a mãe que o odeia por ter denunciado o pai que o violentava e o culpa pela prisão e abandono do marido. Além disso, Martin ainda é molestado pelo terapeuta que só piora seu quadro clínico. Tudo isso já é um contexto um tanto bizarro mas some a isso as nuances do nosso vilão Martin: um homem bem acima do peso que por conta disso tem dificuldade de locomoção, tem os olhos esbugalhados, um olhar psicótico, asmático, viciado no filme A Centopéia Humana o qual assiste incessantemente e se masturba (com uma lixa) vendo as cenas  do filme. Ele guarda notícias, fotos, desenhos e uma espécie de maquete em um grande álbum em homenagem a Centopéia Humana. Martin não diz uma única palavra durante  filme e isso não faz dele menos assustador, por sinal, se eu encontrar o ator Laurence Harvey  na rua eu com certeza mudo de calçada. O trabalho dele como este personagem é surreal.

A obsessão de Martin por  A Centopéia Humana fica tão latente que ele decide fazer sua própria centopéia unindo nada menos que 12 pessoas raptadas no estacionamento onde ele trabalha como segurança. Ao contrário do seu  mestre que fez uma cirurgia com anestesia em uma sala de procedimentos médicos, Martin usa uma maleta com grampos, martelos, facas, fita adesiva e muitos outros materiais nojentos.   A partir daí somos “agraciados”  com tudo aquilo que o primeiro filme não mostrou: O gore.

Por falar nisso, esse filme é todo em preto e branco e parece que acontece em um universo paralelo.  Acho que o este recurso foi bem utilizado porque apesar de tudo que vimos  – massacre de uma mulher grávida, de um bebê, extração de dentes, estupro da centopéia, cortes, escatologia extrema – caso fosse em cores seria muito difícil de fazer com  ess grau de realismo e em vez de chocar ficaria tosco. O primeiro filme foi muito ciriticado por não ter sangue e  gore suficiente embora eu acredite que ele foi incrivelmente eficaz no seu papel de chocar. Pense bem, a idéia de um doutor evil formar uma centopéia humana ligando três pessoas no esquema boca-ânus é uma das coisas mais doentias que eu lembro de ter ouvido falar sem contar que deve ser pior do que qualquer tortura mostrada em filmes como O Albergue ou Jogos Mortais. Se não acredita é só tentar se imaginar vivendo – disse vivendo e não morrendo – acoplado em uma centopéia.

Mas o público não acredita nisso. Ele pediu mais, queria ver a Centopéia sendo feita, como seria se pudesse acontecer de maneira mais doentia, com mais sangue, mais gore, mais sofrimento e conseguiram um filme assim. Eu sou fã do primeiro filme porque sou fã de filmes de terror e estou cansada do mais do mesmo. Ele mostrou que a mente humana pode pensar coisas realmente bizarras… enquanto Centopéia Humana 2 é amoral como seu vilão que tem enorme prazer sexual vendo a degradação das pessoas. Filmes como esse me fazem pensar nos rumos que o cinema de terror está tomando. Sei que parece contraditório pois um filme de terror para ser bom precisa dar medo mas ao mesmo tempo pode cruzar uma linha muito tênue em relação o que é medo e o que é chocar. O que me assusta no momento é saber que milhões de pessoas vão assistir A Centopéia Humana 2 e vão achar o filme fraco, bobo sem gore suficiente. Isso me assusta muito mais que o próprio filme e ao seguir por essa linha de pensamento, nascer um Martin por aí não é tão difícil. Por essas e outras deixo a pergunta no ar: O que de fato choca você?

110 comentários sobre “A Centopéia Humana 2

  1. filme dani e um filme e isso que quer dizer o sentido literal da palavra após terminar as filmagens todos os atores vão pra casa viver suas vidas gosto de filmes assim por que mostra a real natureza da raca humana como no holocausto narzista onde os soldados jogavam os bebês no ar e atiravam neles.

    Curtir

  2. Relato de um nerd:

    Ainda muito pequeno, em YuYu Hakusho, um humano se revolta contra os demais humanos, e se alia aos demonios por acharem que os de sua espécie não mereciam viver, após ter visto uma fita chamada “capitulo negro” (se bem me lembro), onde humanos cometiam o maior número de atrocidades possíveis contra outros humanos e demonios. Aquilo me deixou perturbado, acreditando que de fato algo desse tipo poderia existir de verdade. Então descobri “As faces da morte”

    Bem…. Até hoje não sei onde de fato é ou deixa de ser realidade nessas fitas, mas só sei que após ter assistido aquilo, eu já não era mais o mesmo.

    Anos se passaram, e o que todos chamam de “terror” pra mim nunca passou de “suspense”. Até que “a centopéia humana” começou a criar um reboliço na net, e me fez acreditar que algum filme poderia me chocar ,e eu enfim conseguir caracteriza-lo como “terror” ou algo do tipo.

    Mas para minha decepção…. não passou de um Trash, muito do mau escrito e executado, onde na maioria das cenas me deu vontade de rir de tamanha palhaçada sem sequer uma ambientação (entenda cenários, takes, música, enfim, simples coisas que podem deixar um coelho na grama aterrorizante).

    O filme não me prendeu na cadeira, não me chocou, não me instigou a querer continuar vendo, enfim…. Achei que pudesse ser apenas eu…. Mas ao perceber tamanha falta de bom gosto (ou seria mau gosto pra deixar um filme desse tipo “bom” ?) do produtor/diretor/o-q-quer-q-seja, perguntei se minha mãe queria ver (ela é viciada em filmes de terror clássico).

    E sem surpresa, ela achou a mesma coisa que eu e ainda pediu pra eu baixar um “jogos mortais” ou algo do tipo pra poder lembrar o que é “terror” de verdade.

    Fica meu relato pequeno (rsr), e obrigado a Dani por me instigar a assistir o que provavelmente para mim será apenas mais um filme chato, mas a curiosidade sempre fala mais alto.

    Curtir

    1. Viper,
      nunca vi faces da morte… quando soube que seriam mortes reais, resolvi não ver. Aquilo pra mim seria passar um limite muito sério no qual eu não estava preparada, inclusive porque acredito muito no respeito. Quando uma pessoa real está em uma situação como essa, temos que lembrar que além da carnificina … ela tem família, ela tinha vida, uma história… tenho medo de ir perdendo minha humanidade de certa forma, caso eu passe a achar isso normal.
      O primeiro centopéia foi legal porque trouxe uma novidade, uma idéia bizarra e só de pensar nessa possibilidade dava um arrepio… melhor tortura não há e eles nem mostraram sangue direito…
      … mas não vá achando que vai ver o filme e depois disse se sentirá mal, com medo e coisas do tipo. Centopéia 2 não dá medo e sim nojo. Se isso é associado a terror pra você então encontrou o filme certo, se não é… será apenas um momento de arghh e vai passar.
      =)

      P.S. Você deu o filme pra sua mãe assistir? Que sacanagem!!!
      hahahahhaah

      Curtir

  3. Deuzemais. chama um padre para benzer essa menina. ouvir dizer que ela vai assistir novamente quando sair a versao unrated. procede?
    Desse ai eu so fico com a resenha. tou fora.

    Curtir

  4. Gostei do blog e das opiniões!

    Eu assisti esse filme e achei muito ruim. Não agrega em nada, puro mal gosto.. Parece que o único objetivo era chocar para trazer notoriedade e dinheiro rs. Mas como se não bastasse o filme é realmente ruim no geral, não te prende em nada, são apenas várias cenas sem propósito além de alimentar um lado doentio das pessoas. Tudo muito gratuito.
    Alias, não sei nem como tiveram a coragem de fazer kkkkk.. Eles insistem tanto no choque explicito que tem uma hora que vc vê que não existe um proposito e pensa logo em mandar o diretor ir a merda kkkkkk

    Cara, eu sei que é um genero de filme e que existem outros bem piores, mas vai cagar né! kkkkk melhor não, chega…

    O único medo que me deu nesse filme foi de pensar até onde o ser humano pode ir, não pelo gordinho principal do filme, mas sim pelo diretor e tantos outros filmes gore que vão entrar nessa disputa de degradação humana… Assim como sugere o filme, quem sabe essas produções servem de fuga ou como um gatilho pra tantos doentes mentais que existem por aí. Sem querer ofender ninguém que tenha gostado kkkkkk, mas é de se pensar se realmente é necessária ou produtiva a produção de um filme assim sem entretenimento algum.

    Abs!

    Curtir

  5. “Quando uma pessoa real está em uma situação como essa, temos que lembrar que além da carnificina … ela tem família, ela tinha vida, uma história… tenho medo de ir perdendo minha humanidade de certa forma, caso eu passe a achar isso normal.”

    Hoje em dia, eu concordo com cada palavra sua dita, contudo, quando eu era criança…. Não…. Digamos que hj eu tenha mais “humanidade” do que a uns 18 anos atrás, mas isso não vem ao caso.

    Apenas lhe digo que sua linha de raciocínio está correta. Mantenha-se assim para o próprio bem estar da sua mente.

    Quanto a mostrar o filme pra minha mãe, não me veja como um louco por favor rs, ela sempre foi muito fan de terror clássico, e aprendeu esse gosto com a mãe dela, é de família.

    Agora, lhe presenteio com uma dica, Dani. Leia The Walking Dead HQ, é indescritivelmente perfeito. Tudo o que a centopéia não conseguiu me atingir, as HQ’s de TWD conseguiram. Inclusive a perca de humanidade de alguns personagens ao decorrer das histórias é impressionantemente belo como foi narrado. Lembrando que a série TWD não chega aos pés da HQ.

    Um grande abraço!

    Curtir

  6. Eu preferi o primeiro filme, o médico do filme original é muito mais macabro que o personagem do segundo filme, sem falar que o segundo foi tão trash que beirou o ridículo!

    Só assisti porque queria ver algo bem wtf e nada sério. Algo que me incomodou foi o carinha nunca falar nada haha. O diretor desse filme sabe escolher bem os atores… de onde ele tira aquelas figuras?

    Curtir

  7. Acho que a mente humana reflete o Universo. A insanidade é infinita, nada mais é do que o Caos. Podemos caminhar por ela por milhares de anos, sem nada produzir a não ser mais caos, mais dor, mais sofrimento, mais feiúra. Ou podemos escolher o caminho da Criação, da beleza, do sublime e do belo. Mas quanto mais cultivarmos de um lado, mas nos afastaremos do outro. Eu tento cultivar o lado positivo, e jamais assistiria a esse horror, sei que poderia existir, mas afasto-o de mim, de minha mente, de meu espírito. Busco a beleza, a felicidade, os sentimentos nobres e puros que o espírito pode gerar. Para mim, esse filme, seus criadores, atores, e até os que o buscam, enveredaram em um caminho negro, maligno, fica aqui meu aviso para seu próprio bem: Afastem-se disso, só vai levar vocês à escuridão e ao seu próprio sofrimento. É produto do caos, e o ser humano jamais se realizará por aí.

    Curtir

  8. Você esqueceu de mencionar o fato de que todo ser humano, antes de ser dotado de sentimentos positivos, é dotado sentimentos primitivos. Sem estes, provavelmente nem estaríamos aqui hoje. Acho que as pessoas que buscam filmes assim simplesmente aceitam a própria natureza humana.

    Por mais que você busque o belo e o sublime, no fundo você deseja fazer o que é considerado maligno. Pessoas hoje em dia são “boas” simplesmente porque foram condicionadas a serem assim pela sociedade. A natureza humana precisa ser reprimida e controlada, senão realmente, o caos reina, mas isso também quer dizer que os sentimentos mais puros, são os ruins. Os sentimentos bons são ensinados, e pra mim isso da até um certo ar de superficialidade.

    Curtir

  9. Ao LÉO. Discordo em gênero número e grau de você. Inverteria todo o seu texto. Sem os sentimentos de fraternidade, de diálogo e de tolerância é que não estaríamos mais aqui hoje. Não preciso ser reprimido nem controlado, escolho o bem por opção, pois sei e conheço o caminho do mal e seus resultados. Eu jamais buscaria conscientemente fazer algo maligno, tenho pelos outros compaixão, consideração e amizade, e mais ainda, tento ter respeito por mim mesmo. Já vi a bondade se manifestar em animais ditos irracionais, então posso afirmar que os sentimentos bons são tão instintivos e naturais quanto os maus, não têm nada de superficial. Por último, te convido a refletir: Se você escolher o mal, qual será sua colheita? Terá prazer em provocar sofrimento em outros? Que caminho mais limitado você está defendendo, colega, pense muito, antes que seja tarde demais para você. Abraço.

    Curtir

  10. As pessoas fazem coisas boas porque são repreendidas se fizeram coisas ruins. Desde pequenas elas associam coisas ruins com punição e coisas boas com aprovação, por isso se distanciam de uma e buscam a outra, mas não vejo isso como algo “natural”, as pessoas são assim porque são meio que adestradas a serem assim, através de castigo/recompensa.

    Bem ou mais, certo ou errado, são conceitos aprendidos. Se você crescer numa sociedade onde ensinam que em uma família gêmeos devem lutar até a morte um contra o outro, pois só um deles pode sobreviver ao aniversário de 18 anos, e fizer parte da cultura que um deve matar o outro, eles vão achar isso normal. Do mesmo jeito que achamos matar, roubar e tirar proveito dos outros coisas maléficas, porque a sociedade em que vivemos nos diz que é maléfico.

    Eu não quis dizer que as pessoas devem escolher o caminho do mau, ou que ele trás vantagens, eu quis dizer que acho que as pessoas são antes de tudo ruins, e elas aprendem a serem boas.

    Veja Dexter como exemplo. O cara é um sociopata, provavelmente o serial killer mais bem sucedido da ficção, mata quase 1 vítima por episódio, e as pessoas (inclusive eu) adoram ele. Pode ter certeza de que todo mundo torce para que ele nunca seja pego. Pessoas adoram anti-heróis porque eles fazem tudo aquilo que nós não podemos fazer, porque não é bem vindo pela sociedade, mas que no fundo nós queremos. Não é raro as pessoas terem vontade de machucar outras em momentos de raiva, por exemplo. Elas evitam fazer isso simplesmente porque a sociedade num vai aprovar esse tipo de comportamento, e todo mundo quer ser aceito pela sociedade.

    E eu acho que num é porque as pessoas gostam de assistir violência que elas são pessoas sem salvação. Eu por exemplo, gosto de violência pelo mesmo motivo que gosto de romance ou drama ou comédia: me faz sentir algum sentimento. Eu acho que assistir filmes se resume a isso, as pessoas assistem terror porque querem sentir medo ou ficarem chocadas. Ou você vai dizer que uma pessoa que vai saltar de para-quedas ou andar de montanha-russa pra sentir medo ta no caminho errado tbm?

    Curtir

  11. Oi Dani,

    Gostei demais do seu blog e das suas postagens, favoritei.

    Gosto de filmes de terror desde garotinha, comecei com a dança dos vampiros, a morte dos mortos vivos, assistidos no cinema na sessão da meia noite com meu pai, companheiro de aventuras(na década de 70 era muito mais tranquilo).

    Esse legado pelo amor ao terror, trash e terrir, passei para minha filha mais velha, só que como ela mesmo diz estou ficando velha e não consigo mais ver alguns filmes, jogos mortais nunca assisti, albergue só 1 e a centopéia humana eu me RECUSO a assistir, a degradação do ser humano imposta nesses filmes vai muito além do gore e do querer chocar, ele mostra quanto insignificante e frágil a humanidade é e, como somos responsáveis por essa degradação.

    Eu não aprovo a censura, mas não sei sinceramente o que esse filme agrega de positivo para quem o assisti? A não ser que ele seja um alerta do quanto um filme pode trazer de efeitos nocivos a sociedade (afinal o filme existe por causa da influencia do centopeia um na vida de uma pessoa extremamente transtornada psicologicamente).

    E sinceramente eu tenho medo das pessoas que acham o filme fraco.

    Grata por fazer o trabalho sujo.

    Abs

    Curtir

  12. o primeiro filme é pesado, mas o segundo é muito pior (assisti os dois e o segundo a centopéia humana faz o vilão do primeiro filme ser bonzinho perto do vilão do segundo). alguns falaram do serbian film, mas achei o mais light dos três, até assisti duas vezes.

    Curtir

  13. Nunca vi tantas pessoas criticando um filme e quem gostou do mesmo sem ao menos ter visto o filme como assumidamente alguns deixaram claro aqui.
    Em hipótese nenhuma estou querendo defender a série “Centopéia humana” e sim estou opinando sobre a atitude de alguns de criticaram sem verem o material. Acredito que para criticar uma obra é necessário antes ter conhecimento da mesma pq aí vc tem embasamento para corroborar sua crítica ou mesmo ver que estava errado e ser surpreendido por algo bom. Nunca falei mal de Crespúsculo até o dia que assisti Lua Nova. Não tinha muitas expectativas para o novo filme de Star Trek até o dia que assisti e gostei muito do que vi.
    Na minha opinião, para quem falou que não viu os filmes abordados na matéria e mesmo assim estão descendo a lenha, seria mais sensato vcs falarem que odiaram a idéia do enredo ou que não querem ver esse tipo de cena nojenta e passam longe desses filmes, pq realmente, a idéia de um filme de uma pessoa defecando em outra é bizarra para os padrões socialmente aceitos.kkkkkk
    Mas mesmo assim os argumentos “da idéia ruim” e “das cenas nojentas” não deveriam ser levados tão em consideração a medida que muitos param para ver um menino macaco vindo do espaço que salva a Terra, vampiros que brilham a luz do dia, albergue onde as pessoas pagam para torturem e matarem outras pessoas, psicopata que ensina a importância da vida para suas vítimas colocando-as em jogos mortais, cenas de pessoas sendo decapitadas, de pessoas perdendo membros como em Kill Bill, cachorro comendo parte do corpo de um psicopata como em Sin City e por aí vai.kkkkkkk
    Agora criticar o filme sem tê-lo visto é equivocado, pq vcs não viram as interpretações, não viram a fotografia, não viram como o enredo foi incorporado e trabalhado, não viram o desenvolvimento da trama, a lógica do filme, as explicações para os eventos e diversos outros aspectos (estou falando de filmes em geral e não especificamente dos tratados na matéria).
    Não assisti aos dois filmes em questão. Particularmente acho a idéia em questão bizarra para os maus padrões, para a minha conduta particular, mas não foi por isso que não assisti e sim pq não me dipus ainda a correr atrás do material e por essa razão procuro não criticar negativamente o que não vi.
    Agora pior ainda é chamar de doente quem gostou dos filmes. Se estão fazendo uma trilogia é pq tem público e se tem público alguém bem próximo pode ser esse “doente” em questão. Todo mundo fala que gosto é que nem c&, mas é tão fácil criticar o gosto dos outros quando não é o mesmo que o seu. O Albergue era pura violência gratuita, Jogos mortais se tornou pura violência gratuita, milhões assistiram e ninguém saiu por aí falando que quem gostou era doente. Isso pq esse tipo de violência é algo já comum na sociedade, na cultura, no cinema e não choca mais. Aí quando aparece um filme com uma temática que foge do que é moralmente aceito e do que já está incorporado na vida em sociedade, choca, e quem gosta “vira o doente”.
    Fala sério!! Pelo jeito, a série “Centopéia humana” apela para a mesma “violância gratuita” de outros filmes, porém, com uma roupagem diferente do habitual visando chocar intencionalmente e é isso que acontece e faz com que os defensores da moral dos e dos bons costumes apontem quem são os “doentes”. Não tem ninguém normal e ninguém doente nessa história toda.kkkkkk

    E antes que alguém diga “não preciso comer bosta para saber que é ruim” justificando um comportamento de que pode sim criticar o que não foi visto te digo que todo mundo na vida já comeu bosta quando criança e não achava ruim. A psicologia fala, embasada em diversos estudos e observações, que quando estamos nos desenvolvendo, tudo que sai do nosso corpo achamos que é algo bom e por isso queremos experimentar com o toque, com o paladar, com o olfato. Acontece que os pais, outros tipos de familiares e educadores, recriminam os bebes quando praticam o ato de comer as próprias fezes e beber da própria urina. Por essa razão, passamos a crescer com essa concepção e eliminamos isso da nossa vida, nos parecendo que fezes e urinas são ruins. A idéia fica mais clara de que os gostos são incorporados socialmente quando vc analisa o que se come em outras culturas. Em alguns países se comem insetos, em outros se deixa o ovo apodrecer enterrado e depois de alguns dias é comido como uma iguaria. Ou seja, essa idéia de que “não é preciso comer fezes para saber que é ruim” não se aplica tanto assim e para criticar seja um filme, livro ou mesmo uma comida é preciso sim ter conhecimento do que está sendo criticado. Vc pode não querer assistir/ler/esperimentar pq isso fere seus princípios/gostos, mas aí vc não pode criticar e muito menos chamar de doente quem gosta pq quem gosta teve um desenvolvimento diferente do seu, apresenta outros gostos, outra história. Doente é quem tem doença provocada por vírus, bactérias, fungos e outros microorganismos(nem vou falar de doenças mentais pq aí vai outra discussão psicológica/social/cultural).kkkkkk

    Curtir

  14. A arte é algo realmente difícil de se compreender. Mas arte em um filme gore!!! WTF!!! Antes que os moralistas me mandem para a inquisição vamos considerar alguns fatores:

    – Nem todos conseguem interpretar um filme.
    – Pessoas possuem gosto diferente *ta mas isso é meio óbvio…
    – Mutilação gratuita é babaquice *fato
    – Criticar sem antes ver algo ou conhecer *comportamento meio alienado mas enfim…
    – Desconsiderar o trabalho de um diretor independente *triste
    – Não ter uma opinião formada e nem desconfiar os porquês de não gostar de algo *triste 2

    Por mais que você tenha ou não considerado ruim o filme, cabe saber interpretar o que nele é exibido. Mas, é fato que um filme não justifica um ato insano. Culpar o filme a centopeia humana 2 pela existência, ou possibilidade de existência de pedófilos e afins é totalmente lamentável.
    No mínimo burrice. Isso me fez recordar que a alguns anos atras fizeram o mesmo com bandas de rock e videogames para culpar o ato doentio de uma pessoa desequilibrada. Eu vejo filmes de horror e jogo games, nunca entrei em um cinema com uma arma e a descarreguei.
    Tá mas o filme tem muita mutilação. Sim, isso é verdadeiro, mas acho que o filme aborda o lado mais hostil de determinadas pessoas (se é que pode-se chamar alguém assim de pessoa). Aquele lado que você ai na sua casa, bem faceiro, realmente gostaria de não conhecer. Pois é, monstros existem e até mesmo já estiveram no poder. Talvez não da mesma forma que no filme, mas existem.
    Para quem duvida procurem alguns artigos de psiquiatria por exemplo. Mas e quem é o vilão? O cara loser que do nada resolve torturar várias pessoas ou o pai do mesmo que estraga a vida deste ainda na infância? E aí, quem entendeu o filme? Não estou justificando o ato do Martin como certo ou errado mas se derem uma pesquisada, vários assassinos seriais eram vítimas de abuso sexual em suas próprias casas. Exemplo? Aqui no Brasil mesmo, um monstro que não esta na ficção conhecido como Vampiro do Brooklyn.
    Voltando ao início do texto, citei a inquisição, esta também fazia as suas diabruras e o pior é que tinham poder. No filme Hostel, uma sociedade inteira é organizada para que magnatas possam pagar para torturar pessoas. Ai que HORROR!!!!
    Oras ficção “copia” a realidade, ou por acaso vivemos em um mundo de comercial de margarina onde não há criaturas endinheiradas que contribuem com a prostituição infantil e outras podreiras?
    Esta é a minha ideia do filme, até onde vai uma pessoa com uma vida de merda? A ânsia de atingir outros com o mesmo tipo de sofrimento que vivera devido a uma estrutura familiar doente.
    O filme é um filme, arte é para chocar (Goya não realizava na sua época um trabalho com a ideia de chocar??), para pensar e refletir. No caso deste filme, não achei a violência gratuita, possuía um contexto. “A mas a noia de colar as bocas das pessoas nas bundas de outras é repulsiva !!!” *tirem as crianças da sala!!
    => Pera ae! Vão me dizer que isso não acontece em filme pornô agora?? Que tudo na pornografia é “normal e bonitinho” ? *Pornografia se fosse arte concorreria ao Oscar, mas isso não vem ao caso…
    Continuando, mas aí isso é socialmente aceito na pornografia, tsc tsc… “Ah mas ninguém caga em ninguém no pornô”, como digo, eu não coloco a minha mão no fogo pela humanidade, deve ter uns pornô gore e com situações mais repulsivas, como zoofilia. A diferença é que Centopeia Humana é um filme, a pessoa do porno gore realmente está transando com um animal ou fazendo alguma outra bizarrice do tipo. Doente, na minha humilde opinião, é quem fica exitado vendo isso, de alguém assim é que eu teria medo huahuahuahu.
    Nada contra quem vê pornografia, mas quem se emociona com algo grotesco tem alguma semelhança com o protagonista do filme. Logo, o filme “copia” a realidade. Junte isso com uma vida sofrida ao lado de um pai sádico. Pensem nisso.
    Não gostar de algo ok, mas tenha uma opinião formada no assunto, pense por si mesmo, não é doloroso acredite. O mais importante é não culpar uma forma de entretenimento como a causa de crimes nas entranhas de uma sociedade doente.

    Curtir

  15. gostei do filme. Achei muito louco!!!
    Para min esse filme não e de terror,por uqe simoplesmente não me aterrorizou.
    Ele sim me chocou !!! E tambem e enojou em muitas partes .
    Mais do que terror ele me deu nojo.
    Para quem gosta de descobrir ate quanto vc consegue não vomitar vendo um filme. Veja esse então
    Acho que o Six não tentou criar um filme de terro e sim algo que eu não sei explicar. Por que se ele achou que alguem ia ficar com me do de ver uma pesso fazendo fezes na boca de outra. ele se enganou !!!
    O maximo que ele conseguiu foi fazer muita gente vomitar
    Mas e ai Dani Vidal
    Falei algo errado ?
    rs

    Curtir

  16. Acho um filme perturbador…porém corajoso.Vi o 1 e o 2.Realmente muito forte.Já vi vários filmes de terror,acho que “Martys,Sem saída,A casa a Esquerda,A invasora, Alta tensão e Abismo do Medo são os filmes mais pesados que eu já vi, Mas… todos eles são de estilos diferentes.Realmente a Centopeia humana é muito diferente de tudo que já vi e confesso que não imaginei que o 2,pudesse ser mais “Gore” do que o 1.Porém… me enganei.Quero parabenizar a Dani pelas criticas e dicas de Filme.Realmente é uma mulher muito inteligente e cinéfila bem articulada.Gostaria de dicas de filmes pelo meu e-mail Dani se possivél.Embora sempre que possivél estarei visitando e divulgando o site.

    Curtir

  17. Salve,

    Se “nojento” = chocar, então nem vejam. O Albergue é tenso pelas cenas de tortura, não pelos caras serem “sádicos”, não tem algo tão nojento.
    Agora Centopeia humana choca pela nojeira em si + tortura. Eu não vi o segundo ainda, mas breve não aguentarei minha curiosidade!

    De fato essa idéia de censura é complicado e meio perigoso, pois se continuar assim(nada podendo ser censurado), tudo vai virar algo “normal” e isso é bem complicado e meio “sem graça”.

    Otimo blog!! parabens!

    bj

    Curtir

  18. Adorei a crítica, pensei o mesmo. Gosto bastante da loucura e da obscuridade sendo trabalhadas de uma forma direta e quase verídica. O Martin é absolutamente assustador, o ator que interpreta o Martin foi sensacional.

    Curtir

  19. Tipo na minha opinião eu achei o filme Ótimo! ele realmente choca as pessoas,mas fica devendo em algumas partes,como o final muito idiota,e os policiais não avisaram ninguem onde estavam indo? muito ridículo…’ vou assistir o 2 agr,depois volto pra falar mais!…’ Pra mim o 1ª foi Ótimo pois pra mim pareceu uma coisa bem real,mas tem partes que dá raiva,como a mulher que tenta fugir e deps volta pra pegar a outra e se fode…’ ou bem no final quando os 3 vão fugir e aí arrumaram o vidro de vez eles tracarem a porta,sei lá o cara vai e se mata’. foda! kkk

    Curtir

  20. Nascer um Martin? Já ouviu falar da Deep Web? Se fuçar, irá achar Centopéias reais e muitas, muitas outras coisas REAIS do genero…não é Fantasia…é bem real!!!

    Curtir

  21. Eu assistir o primeiro e fiquei whatafuck, mesmo assim eu fui la e assisti o segundo tambem, quero deixar claro a difenreça entre filmes de terrores e filme de horror, terror da medo e horro da nojo e esse filme é um otimo exemplo, apesar de tudo eu consegui ver o filme todo sem pular nada, mas eu pasei certas cenas e dizia a mim mesmo “eew ta bom hora de parar” ate poder dissolver aquilo, o filme é muito bom, mas creio que pelas cenas cortadas fiquei sem entender algo, agora resta ver o 3 kkk,

    Curtir

  22. Eu não conssigo explicar a repulsa que esse filme me da, amo filmes de terror mas esse com certeza nunca verei, é algo que minha empatia não suporta, a gente se põe no lugar das pessoas e nossa, sem palavras

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s