Billi Pig

Quando criança meu sonho era ser astronauta mas, infelizmente, não deu. Quando José Belmonte e sua equipe conceberam “Billi Pig”, provavelmente, tentaram fazer um filme ‘nonsense’, com humor escrachado e que fosse uma espécie de homenagem às antigas chanchadas brasileiras mas, sinto em dizer, falharam miseravelmente. Em uma história completamente sem sentido e com direito a personagens inúteis e sem qualquer ligação com a trama principal, nem mesmo o elenco estrelado encabeçado por Selton Mello consegue tirar a sensação de perda de tempo e de vida que é acompanhar seus intermináveis 90 minutos de duração.

Pode parecer incrível para o espectador que o estiver assistindo mas, supostamente, existe uma trama principal que é a de Marivalda (Grazi Massafera) que tem o sonho de ser atriz e possui um porquinho falante – TOSQUÍSSIMAMENTE animado em 3D e com uma voz irritante – que ela carrega consigo desde sua infância e é seu principal confidente. Ela é casada com Wanderley (Selton Mello, “O Palhaço”), dono de uma seguradora no subúrbio do Rio de Janeiro e que, após descobrir que a filha de um grande bandido local sofreu um acidente, chama o padre local (Milton Gonçalves) para se juntar a ele num plano infalível, realizar um milagre e “ressucitar” a filha do mafioso em troca de muito dinheiro.

Tanto a sinopse como também o elenco contratado mostravam um possível potencial para, quanto nada, divertir o público por alguns instantes mas “Billi Pig” está muito longe disso. As piadas quase nunca funcionam  e os personagens são pouco carismáticos e divertidos e, em meio a tudo isto, ainda existem algumas subtramas sem qualquer ligação ou propósito como a de uma funerária com Preta Gil e Milhem Cortaz (“Assalto ao Banco Central“). Selton Mello por sua vez parece estar aceitando fazer qualquer coisa em troca de dinheiro ao entregar uma atuação tão sonolenta e sem carisma (ou talvez ele esteja querendo provar que existe algo pior do que “Federal”). O elenco de apoio também não ajuda nem um pouco e, por mais incrível que possa parecer para algumas pessoas, a única que pareceu se esforçar para entregar algo aceitável é a ex-BBB Grazi Massafera que faz bem o papel de burrinha bonitinha.

É comum e geralmente aceito que em produções deste gênero (supostamente é uma comédia) a parte técnica não seja tão bem trabalhada, mas o porquinho animado e falante é, sem dúdivas, umas das coisas mais mal feitas que vi nos últimos tempos nas salas de cinema. A sua dublagem então é triste (me fez sentir saudade das vozes daqueles esquilinhos cantantes) e seus diálogos recheados de palavrões teoricamente eram pra ser engraçados mas só conseguem nos trazer aquele sentimento de vergonha alheia. É tão incrivelmente ruim que faz parecer completamente natural e convincente o surgimento de um pato azul fosforecente (neste momento este que vos escreve fez menção em se levantar para ir embora e soltou um sonoro “qui porressa!”).

Para não dizer que é tudo tempo perdido (como já diria Renato Russo) existe uma cena musical num boteco que, com uma dose de boa vontade, é até interessante e divertida, mas é apenas um lampejo em meio a tanta coisa absurda e sem o menor sentido que são apresentadas neste que é, até aqui, o pior filme que vi neste ano. Gosto quando o cinema nacional se arrisca e tenta sair da mesmice e zona de conforto que grande parte dos lançamentos cinematográficos brasileiros seguem, mas, infelizmente, “Billi Pig” é uma tentativa que não deu certo e não funciona. Prefiro terminar com este elogio (o melhor que consegui) afinal, é errando que se aprende.


Billi Pig (2012 – 90 min)
Comédia.

Dirigido por José Eduardo Belmonte com roteiro de José Eduardo Belmonte e Ronaldo D´Oxum. Estrelando: Selton Mello, Grazi Massafera, Milton Gonçalves, Preta Gil, Milhem Cortaz, Otavio Müller, Cassia Kiss, Sandra Pêra, Zezé Barbosa, Aimée Espinosa, Tadeu Mello, Simonia Queiroz, Andrea Neves, Priscila Marinho e Léa Garcia.

24 comentários sobre “Billi Pig

  1. Só discordo das atuações, Márcio, acho que os atores estão bem diante da zorra total que lhe entregaram. Sério, Arlindo Cruz deu a sensação de que ia começar o Esquenta. E os créditos também estão ótimos com aqueles erros de gravação, ali eu ri. Agora, infelizmente, vai ter uma boa bilheteria, alguém duvida?

    bjs

    Curtir

    1. Sinceramente não acredito numa grande bilheteria pois o boca-a-boca funciona Amanda. Este filme não tem condições de agradar o grande público não. Na sessão que fui e que estava cheia raros risos foram ouvidos e a turma não tinha gostado muito.

      Existem filmes que são ruins mas eles tem um apelo para o público mais “geral”, eles fazem rir com algumas gags ou algum besteirol e Billi Pig é todo ruim. Sem condições.

      Curtir

  2. cara,eu até aprecio o cinema brasileiro,mais são pouquissimos os filmes que valem a pena,sem falar que não fazem nada do meu gênero preferido ,o terror,quer dizer,até fazem,mas é um lixo,um exemplo disso é aquele desaparecidos,ô filminho meia boca 😦 wtf……….

    Curtir

    1. E o problema é que bons filmes nacionais nem sempre contam com uma boa divulgação como, por exemplo, 2 Coelhos. Um filme ótimo que teve pouca divulgação na mídia e saiu rapidinho dos cinemas. Existem outros vários exemplos e filme ruim é ruim independente da nacionalidade.

      Curtir

  3. Porra man, só pelo seu texto (os elementos da trama que apresentou) eu não vou nem me dar o trabalho de gastar alguns minutos baixando essa porra. Me diga uma coisa, seria possível você fazer um texto sobre o filme mais ridiculo que eu já vi? Chama-se: As Aventuras de Agamenon… Valeu.

    Curtir

      1. UAHAUHAUHAU, man, eu consegui dormir no cinema pela primeira vez (não podia sair porque minha namorada mesmo odiando também o filme queria gastar até o último investimento). Acho que deveria ter o método de classificação de controles negativos de -1 a -5… Agamenon com certeza ganharia -6! ehehe. Abraço.

        Curtir

      2. O mesmo aconteceu comigo e minha namorada, foi difícil continuar acordado e por muito pouco não saímos do cinema e abandonamos o filme. É complicado ele ter algum sucesso nas bilheterias e tomara que realmente não tenha porque filmes ruins como este não podem ocupar espaços no cinema.

        Curtir

    1. O problema não é ser nacional, posso listar vários e vários filmes brasileiros ótimos aqui para você (recentemente tivemos 2 Coelhos, por exemplo), o problema é que filme ruim é ruim independente do país em que foi feito.

      A ideia era fazer algo escrachado, divertido e tal, mas falharam, como eu comentei, miseravelmente.

      Agora não lhe tiro a razão de ficar muito injuriado Rodrigo, ir ao cinema e pagar para ver algo assim é de lascar.

      Curtir

  4. Que isso man, Depois de Dois Coelhos, Tropa de Elite 2 – O Inimigo Agora é Outro, e outros como Divã, De Pernas pro Ar, Cidade de Deus, O Homem do Futuro, Ó Pai Ó, enfim, é uma grande lista… São filmes que foram muito elogiados por aí a fora.

    O problema não é ser nacional, mas quem produz. Tanto filme estrangeiro que é pior que este (Centopéia Humana que o diga).

    E uma dica: por hora, desconfie de qualquer nova produção que o Selton Melo esteja. Tirando o Palhaço, não vejo filme bom com ele desde, desde… O Auto da Compadecida?! :S

    Curtir

  5. Valeu por me livrar de mais essa, Marcio!

    MATEUS “Tirando o Palhaço, não vejo filme bom com ele desde, desde… O Auto da Compadecida?!” – e ‘Meu Nome Não é Johnny’?

    Curtir

    1. Selton fez alguns bons filmes sim depois de Auto da Compadecida como por exemplo “O Cheiro do Ralo”. Para mim os dois maiores fiascos de sua carreira são Federal e este Billi Pig. Espero que ele se livre disso e volte a fazer filmes interessantes

      Curtir

    2. Na verdade eu coloquei uma interrogação ali justamente porque estava com a sensação de estar esquecendo algo. Valeu por lembrar…

      Márcio, nunca vi esse “O Cheiro do Ralo”.

      Curtir

  6. Quando fui assistir ao filme também fui com boas expectativas,pow
    o Selton tava lá e pelo menos seria engraçado. Mas logo quando começou
    tudo vem a baixo,o odeon lotado e eu não creditando na porcaria que
    estava assistindo,por incrivel que pareça ainda ouvi uns 5 risinhos
    ( talvez de constrangimento)pela sala. Dormi,acordei e dormi novamente,
    me esforcei para ficar até o fim da sessão,sou gueiro porra enfrento
    de frente qualquer merda…e ainda tinha esperança de que nos 15 do
    tempo ainda teríamos uma cena realmente que pagasse o ingresso,mas
    não deu. Levantei da poltrona e disse sem querer em alto e bom som:
    Porra de filme ruim! E os outros expectadores vieram em coro
    acrescentando de ruim para baixo. Realmente lamentável,queria o meu
    tempo de volta…era melhor ter assistido ao filme de péle! Abraços.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s