The Walking Dead: Beside the Dying Fire

Recordes de audiência foram quebrados nos EUA com o episódio final desta segunda temporada de The Walking Dead e não é para menos, a série que vinha numa crescente muito forte nestes últimos episódios teve uma ‘Season Finale’ de tirar o fôlego e que coloca o seriado, definitivamente, entre os melhores da atualidade.

Contêm Spoilers sobre o episódio, siga por sua conta e risco…

Não sei vocês, mas quando assisto algo envolvente me coloco na pele dos personagens e me imagino na mesma situação e a todo instante fico me indagando, o que eu faria? Nem todos os filmes ou episódios de seriados conseguem nos fazer sentir assim, mas “Beside the Dying Fire” me deixou sem ar e completamente envolvido com todos os acontecimentos que marcaram o encerramento desta segunda temporada que, no geral, foi melhor que a primeira (pelo menos em minha opinião).

O episódio já começou muito bem com Rick ainda atônito ao acontecido com Shane e tentando encontrar uma forma de conseguir responder aos insistentes (e pertinentes) questionamentos de Carl. Mas antes que desse tempo de explicar alguma coisa uma horda imensa de zumbis aparece com destino à fazenda. A sequência de cenas que mostra como eles chegaram até aqui foi muito interessante, mostrando o helicóptero (que foi visto desde a primeira temporada em Atlanta) e até mesmo os tiros que nortearam o caminho dos errantes. E com a chegada dessa onda imensa de morte gerou um desespero muito grande. Corre corre, pega pega.

A Fuga e o Adeus à Fazenda

A contagem de corpos foi alta e o placar ficou assim: Dois humanos morreram, Jimmy (tentando ajudar Rick e Carl) e Patricia (dilacerada numa cena angustiante) enquanto dezenas e mais dezenas de zumbis foram dizimados. No lado dos “mortos-vivos” ou errantes nunca há muito o que se lamentar, os pesares e tristezas ficam geralmente do lado dos “vivos” mas, como eram meros figurantes, nenhuma grande falta farão os dois para a série, mas suas mortes foram importantes para todo o clima de tensão, suspense e desespero gerado na fuga tresloucada da fazenda – refúgio quase paradisíaco que se encontravam os personagens durante toda esta temporada – que foi queimada até a última ponta.

Abre a porta Mariquinha...

Pegos de surpresa os personagens não tiveram tempo de orquestrar uma fuga e, no final das contas, cada um fugiu como pode acarretando em uma grande separação do grupo. Tirando os dois que serviram de banquete, sem dúvidas quem se deu pior foi Andrea que acabou sendo deixada para trás e teve que se virar sozinha pelo meio da floresta. Foi muito bom vê-la cuidando sozinha de toda uma horda até a sua completa exaustão, sendo salva no último suspiro por uma personagem que fará parte da terceira temporada e que é, sem dúvidas, umas das melhores personagens dos quadrinhos.

Sophia salvando o grupo

E quem diria que “veríamos” Sophia sendo importante para todo o grupo que acabou tendo a mesma ideia de ir até o ponto de encontro, o qual deixaram um aviso e mantimentos para a garota momentos depois de seu sumiço na floresta? Antes do grupo se reencontrar e conversar sobre quem sobreviveu e o que fariam a partir dali Hershey comentou em tom ácido e melancólico que Deus tinha o plano de fazer com que as pessoas voltassem à vida após a morte, mas nunca imaginou que seria daquele jeito.

Lori, a cachorra

Me desculpem a expressão mas existe alguma definição melhor para Lori? Hora está com o melhor amigo de seu marido se esfregando na grama, depois renega Shane e fica nesse jogo por muito tempo. Nesta segunda temporada chegou a envenenar a mente do marido para dar um jeito nele. Depois disso ela se declaram, de certa forma, para Shane no episódio de sua despedida falando que não sabia de quem era o filho. Quando finalmente Rick (e depois Carl) dão um fim nele ela fica puta da vida. Sei que cabeça de mulher é difícil de entender, mas Lori está sendo difícil até de aturar. Palmas para a atriz que está conseguindo passar um ar de “insuportabilidade” e repulsa para sua personagem.

A fúria de Rick

Certa vez vi um filme que dizia que o guerreiro ao abater o inimigo assumia a “alma” do seu derrotado – isso rola também no jogo Mortal Kombat com Shen Tsung – e pareceu que Rick assumiu um pouco da personalidade de Shane. Depois de todo o “mimimi” de sua esposa ele deu um basta. Primeiro explicou como aconteceu a morte de seu melhor amigo (e como não estava mais sendo possível conviver com ele) dizendo estar com “as mãos limpas” e depois soltou o verbo:

– Isto não é mais uma democracia!

Merecia um som de palmas após esta frase. Rick deixou bem claro que quem quiser sair do grupo que fique a vontade, mas quem ficar vai ter que seguir suas ordens e ponto final.

Todos infectados

Em meio a tanta tensão, correria e reviravoltas ainda tivemos uma importante revelação que, de certa forma, muitos já sabiam ou suspeitavam fortemente: todos estão infectados. O “cochicho” que o cientista deixou para Rick no final da primeira temporada se referia justamente ao fato de que, na verdade, todos já tem o tal vírus (ou seja lá o que for). E com isso fica explicado porque alguns viraram zumbis sem serem mordidos.

Sim, já imaginou a tensão que isto irá proporcionar daqui para frente? Basta alguém cambalear rumo a morte que vai ser aquela preocupação.

Em Outubro tem mais

E a terceira temporada chegará em Outubro e tem tudo para ser muito boa. Teremos (segundo informações que coletei) ao todo 16 episódios e a ausência de Shane (e vá lá, Dale) não deverá ser muito sentida já que teremos o acréscimo de uma espadachim com zumbis encoleirados e ainda outro importante, e muito querido, personagem dos quadrinhos.

Fechado com chave de ouro e deixando alguns vislumbres do que está por vir “The Walking Dead” teve um dos melhores desfechos de seriados que vi nos últimos tempos e fez jus à crescente qualidade que a série vinha obtendo nos últimos episódios.

22 comentários sobre “The Walking Dead: Beside the Dying Fire

  1. Véi, eu não tenho palavras pra descrever o episódio, foi emoção pura, perfeito do ínicio ao fim.

    A horda se formando nos primeiros minutos, meu deus, eu já tava com o coração na mão. “vai ter outro barulho e eles vão mudar de direção, quer ver? quer ver? RÁ!!!”

    Na hora que a câmera focou no Rick e ficou aqueles segundos antes dele revelar o que o doutor disse pra ele na primeira temporada eu tinha certeza que ele dizer a mais clássica de todas as frases da hq, “nós somos os mortos-vivos”. Não foi, mas foi bom… se eles repetirem o mesmo sucesso da HQ, está por vir o melhor arco dramático até agora que é quando eles entram na prisão. Veremos!

    Curtir

  2. Impressionante mesmo. Até mais impressionante como o seriado passou de um mero amontoado de zumbis e pessoas os matando, para um extenso e complexo cenário pós-apocalíptico – em que os zumbis são importantes, mas não os mais importantes.

    Curtir

  3. Sem dúvidas o melhor momento do episódio foi a frase “Isto não é mais uma democracia”. Gostei também que finalmente revelaram o que tinha sido dito pra Rick no final da 1ª temporada.

    Curtir

  4. realmente,esse foi demais,mas eu adoro essa série ,independente de qualquer coisa.agora esperar até outubro é foda né? vou morrer de saudades, mas marcio ,fica calmo brother,a lori é só um personagem,dá até pena da sarah wayne callies,coitada ,que depois de amada em prison break,agora é odiada em twd,em todo site que eu entro a galera mete o pau na mulher,se eu fosse ela teria cuidado ao sair de casa ,medo 😦

    Curtir

  5. Te falar: só não foi ótimo pq o salvamento de Andrea foi muito forçado (minha opinião). Michonne estava ali no mato de bobeira? Tava caçando e pronto? O ponto alto da série, diferente dos quadrinhos, é que sempre prezam por trazer situações cotidianas a esse mundo zumbi. Decisões e situações “normais”. Acho que Michonne valia mais trabalho por parte deles no sentido de incluí-la de uma maneira, digamos, mais inteligente.

    De resto: sensacional!

    Curtir

    1. Sei lá Fábio, só mostrou ela aparecendo e acredito que o fato dela “aparecer no mato do nada” vai ser explicado. Nas HQs mesmo, se não me falha a memória, ela também aparece na frente do presídio “do nada”.

      Curtir

      1. Na frente do presídio mesmo. Mas pô: no meio do nada? Enfim, gosto muito do seriado. Estou é com medo de estragarem como tanto outros … Vamos esperar!

        By the way: que FDP a Lori!

        Curtir

  6. Muita gente tava reclamando do ritmo dessa temporada, mas eu achei a mesma muito boa. Os produtores sabem o que estão fazendo, e pode ter até quem não concorde comigo, mas tem algumas partes que ficaram infinitamente melhores na série do que na HQ.

    TWD tá pegando um rumo legal, e se continuar assim só tem a melhorar.
    Mal posso esperar pela terceira temporada! *-*’

    (Nem vou comentar a respeito da Lori, né! KKKKK)

    Curtir

  7. Pra quem critica algumas passagens um tanto quanto ‘ilógicas’, eu li isso no facebook do Walking Dead Brasil:

    Perguntaram pelo twitter pro produtor Glen Mazzara qual a melhor arma na série e ele respondeu que é “a melhor até agora é a Espingarda mágica de munição infinita do Hershel”

    hahahah

    Curtir

    1. Sensacional, até iria comentar sobre isso mas achei “irrelevante” tanto quanto todos acertarem sempre na cabeça e com carro e movimento e tudo mais. Enfim, é muito pouco né?

      Adorei a frase dele e condiz muito com o que penso, é melhor levar na “diversão” e não se apegar a alguns “absurdos” hehehe

      Curtir

  8. Acho que ninguém gosta do Season Finale da 1ª temporada e, se existe alguém, provavelmente é a esmagadora minoria. Acho que os dois últimos episódios dessa temporada somados com o Piloto são para mim os melhores até agora. Inclusive essa temporada achei melhor que a 1ª, e pelo que vi a tendência é melhorar.

    Curtir

  9. Foi maravilhoso esse Season Finale. Eu vibrei master qdo Rick disse que aquilo não era mais uma democracia. Mta gnt opinando, sem sair do lugar. Agora, tanto Lori quanto Carl é um grande estorvo. O Carl por ficar jogando pedrinha nos zumbis, ou fazendo perguntas inconvenientes, e a Lori pelas razões que vc citou bem no post.

    Agora só resta aguardar a próxima temporada, e que seja tão boa quanto essa.

    Bjs

    Curtir

  10. Onde eu assino??? Belo texto.

    Concordo com tudo… a segunda temporada foi excelente, sempre numa crescente desde aquele hiato. Também achei ela melhor que a primeira, mas ainda considero o piloto o melhor episódio…

    Sem dúvida é um dos grandes seriados do momento e é algo digno de aplausos, afinal zumbis geralmente não são levados muito a sério.

    Quanto a Lori… só faz m… mesmo e o Carl também não fica muito atrás, aliás acho esse ator meio fraquinho.

    PS: bom saber que a terceira é em outubro… eu estava achando que era só no ano que vem!

    Curtir

    1. Pois é Bruno, é bom saber que a espera não será tão longa.

      E The Walking Dead, no momento, está superando até mesmo Game of Thrones na lista de minhas séries favoritas!

      Que venha a terceira temporada…

      Curtir

  11. Esse seriado é do c****** fim de série muito bom que será a tal espadachim esses dias vou aproveitar e rever uma das melhores séries que conheço Arquivo X e ver o final da 7 temporada do supernatural que também gosto muito.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s