A Entidade – 2012

Nome: Sinister – 2012

Direção: Scott Derrickson

Elenco: Ethan Hawke, Fred Thompson, James Ransone

Sinopse: Ellison é um escritor de romances policias que acaba de se mudar com a família para uma nova cidade onde pretende escrever sobre um assassinato. No sótão da nova casa ele descobre antigos rolos de filme, que trazem imagens de pessoas sendo mortas. Intrigado ele começa uma investigação e descobre coisas que podem colocar sua família em risco.

.

Eu gostei muito do filme O exorcismo de Emily Rose e ao que me lembro, a única coisa que me incomodou um pouco foi a parcialidade em determinado momento do longa. Eu gostaria de ter decidido em que acreditar, com base no julgamento e no que tenho como crença. Mas isso não é um defeito pois um filme não tem que ser imparcial, ele tem que passar medo/ arrepio/ suspense, como um bom filme de terror. E isso ele fez. Tempos depois, Scott Derrickson – mesmo diretor de O exorcismo de Emily Rose, juntou-se aos produtores de Atividade Paranormal para um novo filme: A Entidade.

Ellison é um escritor de romances policiais baseados em fatos reais. Ele investiga, ouve testemunhas e escreve sobre crimes hediondos. Após dez anos do seu best seller  “Kentucky Blood” ele nunca mais conseguiu fazer sucesso com suas publicações e isso tem desgastou a sua carreira e família. A ideia de se mudar para as comunidades onde aconteceram os crimes que ele escreve torna a rotina mais difícil não só para ele mas também para a esposa e filhos. Sem contar que ele se tornou uma persona non grata nas comunidades por conta de colocar o trabalho da polícia a prova em suas publicações.

O escritor começa colocando os pés pelas mãos ao se mudar para casa onde ocorreu o crime tema livro que está escrevendo. E o pior, não conta para a esposa! Acredito que qualquer um iria querer saber se uma família inteira foi morta enforcada no quintal da casa onde você mora atualmente! Apesar disso ele se mostra muito tranquilo com isso pois não vê nada de sobrenatural na história. No mais, essa dinâmica familiar não é o foco principal do filme pois Ellison passa a maior parte do tempo sozinho. Esta foi uma escolha bem acertada, afinal essa ideia de ficar todo o período em casa – onde ocorreu o crime – fechado no seu escritório, escuridão, álcool… não demora para que as coisas comecem a ficar estranhas.

Ellison encontra filmes Super 8 no sótão e percebe que a morte da família que ele investiga não foi o único. Existem outros … e um padrão. Quanto mais ele se aprofunda na história dos crimes, mais coisas estranhas começam a acontecer. O filme desenvolve um clima de suspense constante e apesar de ser bem previsível, mantém a aura de terror. É como se ele voltasse ao terror sobrenatural clássico, com elementos que vão se encaixando, escuridão, crianças e nada de reviravoltas. Apesar da sub trama envolvendo os filhos do casal, é em Ellison que está o interessante. Quando ele está sozinho em cena  o filme cresce. Com toda esta oferta de filmes de terror que temos por aí, A Entidade se mostrou uma boa surpresa!

Nick manda beijo pra você Ethan Hawke. Bem vindo de volta!

14 comentários sobre “A Entidade – 2012

  1. O filme tem alguns momentos bem vergonha alheia e a maioria dos sustos é previsível, mas aquelas cenas de assassinatos são absolutamente chocantes, cruéis, como não se via no gênero há muito tempo. Apesar de não ter aproveitado todo seu potencial, gostei do filme.

    Curtir

  2. Apesar dos sustos previsíveis, o desenrolar e crescimento da trama, tirando O Mr. Boogie (que poderia ter sido explorado melhor), eu gostei também.

    Há uma cena em que as mortes não são mostradas e fica só o foco na expressão do ator. Uma das que mais gostei. Nem sempre precisar carnificina na tela para demonstrar algo horroroso.

    Curtir

  3. Dani querida,odeio discordar de vc mais uma vez,mas achei o filme beeem fraco,a história é legal e eu acho o Ethan hawke ótimo,mais é muito difício um filme sobre coisas sobrenaturais me agradar,sou meio chata quanto a isso.mas achei os sustos bem fraquinhos mesmo,não me assustei em momento algum,sem falar que dormi assistindo ele aqui em casa, pois ir no cinema assistir eu nem arrisquei,depois tive que voltar na parte que eu tinha dormido pra terminar de assisti-lo.mas não achei ruim não,só coloquei muita expectativa nele e me decepcionei um pouco.mas se é pra concordar com vc em algo eu tbm achei massa o exorcismo de Emily Rose,esse me deu mais impacto que esse filme aí,fui…..

    Curtir

    1. Não precisamos concordar sempre né?
      Mas poxa, dormiu durante o filme é sacanagem!!!
      Eu achei um filme legal, é bem regular, tem sustos – previsíveis mas assustam, o problema é que ele não tem aquele impacto todo. Provavelmente, quem curte filmes de terror acha ele meio devagar mas acredite, ele é um filme bem no estilo clássico.

      Curtir

  4. mais sim, o filme é ruim ou bom? você não disse…só fez contar sinopse….por isso que as vezes é melhor com os controles , agente já tem uma ideia melhor…assim complica!

    Curtir

    1. Thiago,
      eu disse que o filme é uma boa surpresa e lembra os filmes mais clássicos de terror. Acho que vale o tempo… eu recomendo sim.
      Não gosto dos controles, me limita. Os meus textos vão ficar sem, ao menos por enquanto.

      Curtir

      1. olha Thiago, esse é meu jeito de escrever. Sei que algumas pessoas aqui não gostam desse estilo, preferem com controles, outros preferem quando falo mais da sinopse outros dizem que é melhor quando dou a opinião, tem gente que reclama de spoiler…

        Em minha opinião, A Entidade é um filme acima da média. Não é maravilhoso não mas é bom. Eu não fiquei com medo mas outras questões… a aura do filme é interessante e lembra os filmes de terror de antigamente.

        Curtir

      2. agora sim..era isso que eu queria ouvir, eu gosto até das suas criticas Dani, agora tem que ter um “o filme é Bom” ou um “é muito Ruim” no meio se não complica, eu leio as criticas procurando essa resposta..da sinopse eu sei,só faltava o veredito..

        Curtir

      3. E tem outra, vários sites não colocam o esquema de “classificação de filmes” e, inclusive, isso as vezes me dá um grande trabalho porque é difícil classificar em apenas 5 níveis um filme. Muito mesmo.

        Tem vezes que volto depois e tenho vontade de mudar heheheeh.

        Acho que a questão de um filme “prestar” ou não é muito subjetiva. Particularmente eu leio os textos que as pessoas escrevem e tento ver se aquilo me interessa em assistir, não vou assistir por classificação de ninguém até porque meu gosto pode ser o oposto daquela pessoa.

        Exemplo, no omelete tem uma crítica de um filme Ruby Sparks e o sujeito lá deu nota 1 de 5, ou seja, deve ser horrível. Li outras opiniões e resolvi assistir porque me interessei pela história, atores, etc. Detalhe, um das melhores coisas que vi este ano.

        Abração! 🙂

        Curtir

Deixe uma resposta para Dani Vidal Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s